top of page
cartaz_emsilencio.jpg

EM SILÊNCIO

PROJECTO INCLUÍDO NAS COMEMORAÇÕES OFICIAIS DOS 50 ANOS DO 25 DE ABRIL

 

Estreia a 11 de Abril de 2024 no Teatro Municipal de Loulé

 

Para a construção deste projeto foram realizadas - durante 4 anos - entrevistas com pessoas que estiveram presas por questões políticas; pessoas que se refugiaram em França e em Genebra;  pessoas que viveram na clandestinidade com identidades falsas, pessoas que viveram em silêncio e  com medo, pessoas que se tornaram informadoras do sistema; pessoas que não quiseram saber. Foi feita uma recolha de cartas e testemunhos deixados a amigos e familiares;  muitos encontros com historiadores, militares e políticos e muitas consultas ao Arquivo da Torre do Tombo; uma investigação sobre um período nebuloso da nossa história para criar uma narrativa artística. 

Vamos misturar linguagem documental com ficção, explorar as linhas de tensão entre o cinema e o teatro e entre ficção e realidade; entre os atores, as pessoas que viveram esse período da nossa história e o público. Pretendemos que o público se sinta parte da evolução da história que se vai desenrolando, que se sinta confortável no meio dessa linha de tensão, pois estará em relação direta com a ação devido à proximidade dos intérpretes e da acção

No filme temos a participação várias pessoas, que estiveram em prisão política; refugiadas; desertores da guerra em África; clandestinos, combatentes do movimento de libertação.

 

Há uma intimidade que queremos preservar quando se fala de tortura, de medo, das lutas estudantis, da luta contra as desigualdades, o analfabetismo, o racismo, o colonialismo, o poder político do patriarcado e sua agressão inerente contra o feminino, a luta LGBTQI+ e a exploração infantil. Temas transversais aos dias de hoje. Para que isso aconteça vamos levar o público para o palco; vamos sentar as pessoas no espaço dos intérpretes, no meio da ação  junto às mesas dos clandestinos, onde podem consultar informação, livros, panfletos, cartas de denúncia, cartas de amor etc. Criar um experiência imersiva, com música e vídeo surround, publico e intérpretes  lado a lado, porque é a nossa história, dos nossos pais, dos nossos avós, e é também o nosso futuro. 

 

Porque quando falamos de direitos humanos, temos de estar próximos uns dos outros, para que o pensamento possa ecoar. 

Direção artística e texto de Teresa Sobral 

Consultoria da historiadora Irene Pimentel

Vídeo de João Pinto

Filme de António Ribeiro

Cenografia de Eric da Costa

Luz de Vasco Letria

Figurinos de José António Tenente 

Música de Miguel Sobral Curado 

Produção Inês Madeira Lopes


Intérpretes em cena

Ana Valentim, Beatriz Maia, Hernâni Faustino (Contrabaixo), Hugo Narciso, Leonor Cabrita (cantora), Mário Coelho, Miguel Sobral Curado (bateria e electrónica), Patrícia Fonseca e Tomás Barroso.   

 

Intérpretes no filme 

Álvaro Pato, Ana Benavente, Ernesto Dabo, Helena Pato; Fernanda Neves, Fernando Cardeira, Luisa Tito Morais, Maria Machado, Raimundo Narciso, Rui Pato, Silvestre Lacerda

 

CO-PRODUÇÕES

CMLoulé - Teatro Louletano; CMCC- Centro de congressos das Caldas da Rainha;  CMLeiria, Teatro José Lúcio da Silva

 

 

APOIOS/PARCERIAS

Arquivo Nacional da Torre do Tombo; Associação Não Apaguem a Memória;  Amnistia Internacional, URAP, Fundação Mário Soares e Maria Barrosos; MP-Cópia; Festival Temp D'Image; Hemeroteca Municipal; Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais Divisão de Documentação e Arquivo; Jornal O Público; Editora A Bela e o Montro

Digital_PT_4C_V_FC_Cultura.png
dgartes_horizontal cmyk.tif
logo_principal_50x2_website.png
mpcopia.png
bottom of page